segunda-feira, julho 24, 2006

COSTANGUEIRO

Desta vez, escrevo a partir de Luanda, a »cidade da confusão». Encontro-me na também cidade da Kianda desde 05 de Julho. Já estive nas cidades do Lobito e Benguela e a imagem não foge muito da confusão de Luanda. Tive também a sorte de viajar ao Luena, onde fiquei 8 dias a trabalhar na preparação e realização de uma conferência sobre o papel das eleições na promoção da democracia e da reconciliação nacional. Em próximos apontamentos, espero poder falar dessas emoções e impressões de regressar à terra e viajar pelo leste.
Hoje quero partilhar convosco uma nova profissão criada pelos angolanos: "Costangueiro". Quando cheguei à casa, nas conversas com as minhas irmãs falaram-me de certo grupo de pessoas que só comem quando chove. Diante da minha indiferença, uma das minhas irmãs perguntou: « mano, sabes porquê eles só comem quando chove»? Do alto da minha sapiência respondi: « porque são agricultores e sem chuva têm dificuldades de regar os campos e conseguir alimento». Em uníssono, as minhas irmãs puseram-se a rir da tuguisse e ignorância do mano.
Refeitas da piada e parvoíce do mano, a mais velha pôs-se a explicar: « mano, eles só comem quando chove porque são costangueiros»! «Costa quê»?, returqui eu. «Costangueiro, mano»! «Explica lá isso bem»! Rematei. «Mano, conheços os candongueiros né»? «Ya conheço»! «Então candongueiros e costangueiros são dois meis de transportes. Enquanto o candongueiro te leva de carro, o costangueiro te leva nas costas; enquanto o candongueiro tem sempre clientes e trabalho, o costangueiro só trabalha quando chove, porque é quando as ruas e as estradas estão cheias de água e para as pessoas passarem têm de ser levadas às costas».
De regresso à Luanda e pelos lados de São Paulo deparei-me com um cenário desolador: em pleno cacimbo, isto é, quando não chove, as ruas estavam completamente alagadas e os costangueiros empregados. Então telefonei à minha irmã e disse-lhe: « mana, aqui em Luanda os costangueiros não dependem da chuva pa trabalhar. Há sempre clientes que precisam ser levados às costas para atravessar certas ruas, porque o asfalto e os canos de água não se entendem. Paga o pacato cidadão e o costangueiro ganha o seu pão». Até Dog Murras desconseguiu explicar e cantar essa verdade, já que ele só diz « nosso bairo é o mesmo... quando chove é sartar, se cair maka é teu»!!! E quando não chove? Porque precisamos de costangueiros?
Atenção: não sou contra aqueles que ganham digna e honestamente o seu pão! Mas essa de levar os outros às costas pa atravessar os lagos ou charcos ao longo das estradas e ruas não dá.
Até breve!!!!

Upindi Pacatolo

1 comentário:

Feliciano disse...

Essa é a situação de um País tão rico que ate o ano de 2007 vai produzir.. 900 mil barris de petroleo. Lembrem que os asfalto vem do petroleo. O que me admira São Países que tem uma produção pequena de petroleo e vc ve, 99% do país urbanizada. O Exemplo do Brasil eu moro aqui a 10 Anos, e vejo a preocupação com as ruas asfaltamento, Não é Odebrechit, são obras publicas feitas pela prefeituras, em Angola Seria comissáriados. O que o governo esta fazendo para asfaltar as ruas de Luanda, Construir canais de esgotos, A guerra não afetou Luanda, Mais me admira ver nossa cidade, principalmente nos municipios os costagueiros. Meu Deus. O governos Não esta fazer nada. Não adianta dizer que esta. 4 anos é tempo suficinete para cosntrur e estruturar uma cidade com um milhão de habitantes, euvejo isso aqui no Brasil.. Alias tantos lidres do governo que volta e meia estão aqui no Brasil e não aprendem, não copiam os sistemas para aplicar em Angola, Agostinho Neto tem Razão quando afirmou que Africa é como um corpo inerte,onde cada abutri abidica seu pedaço. Cada um quer tirar seu pedaço de Angola e isso se ve também nos nossos governantes. Sempre que Vou Á Angola e regresso ao Brasil confesso que trago muito dinheiro, que não consigo ganhar no Brasil.Com palestras que minsitro po rai.. Pago minhas dividas e Faculdade. E entendo o que Agostinho Neto quis Dizer, Mais Angola Não é um País inerte, porque ela vai se levantar e ela mesmo vai dar um geito de mudar todos os maus lideres nas eleições. Eu ja me garanto MPLA, não tera meu voto, Não porque tenho outro Partido, não tenho ainda, mais minha opção é mudança, Não pela corrupção, o MPLA, não é corrupto, afinal enfrentou uma guerra, Mais minha mentalidade aposta em mudanças, novas caras, novos nomes, e nova nação. Eu farei parte dessa mudança, ninguém tem poder vitalicios em Angola, Todos tem direito de um dia fazer parte do poder. por isso vamos adiantra a Fila. Mandando uns embora colocando outros e sucessivamente, ate chegar nossa vez e a vez dos outros.